Talhos Machados

Rui Machado abriu o seu talho nos Anjos há quase 27 anos. O negócio corria bem, e ao longo dos anos foram-se juntando mais talhos, abrindo finalmente o da Praça das Flores em 2008, onde hoje em dia vende, com o seu filho Miguel, os mais variados cortes de carne, como entrecosto, salsichas frescas e bife da vazia.

A história até é relativamente simples, foi basicamente o meu pai que, empregado até à data por conta de outrém, foi abrindo os vários talhos nos quais eu fui ajudando como podia. Nós somos uma empresa familiar,” conta Miguel.

Com o passar do tempo, à medida que os azulejos com animais de quinta que decoravam o exterior do edifício foram substituídos por ardósia preta na qual escrevem os cortes do dia, foram acrescentando outros produtos de mercearia, como azeite, polpa de tomate e ovos. Miguel explica: “São produtos complementares à carne, assim coisas para fazer uma refeição. Uns congelados, especiarias, tudo complementar.

No Talhos Machados, Miguel e o pai trabalham maioritariamente com clientes do bairro e alguns restaurantes. Deixaram de trabalhar com hotéis há uns tempos porque, diz Miguel, “é muito procedimento, muita burocracia.

Apesar do recente boom do turismo, que afetou sobretudo a zona do Príncipe Real, onde há cada vez mais alojamento local, os Machado vão continuando o negócio. Mas o coronavírus é, de longe, o maior desafio que já enfrentaram. No entanto, sente-se otimista: “Orgulhamo-nos de uma coisa: nestes 30 anos mantivemos sempre as portas abertas e conseguimos ultrapassar uma data de crises. Isso é um orgulho. Esta está a ser a mais complicada. Mas nós vamos ultrapassar, já estamos a ultrapassar!

Trabalham com os mesmos produtores há anos, alguns desde o início, no tempo do pai: “eu e o meu pai tratamo-los basicamente por tu. É tudo empresas nacionais e familiares, como a nossa. São produtores pequenos e consegue-se ver melhor relação de tudo -- de confiança, de fornecimento.”

Trabalham com os mesmos produtores há anos, alguns desde o início, no tempo do pai: “eu e o meu pai tratamo-los basicamente por tu. É tudo empresas nacionais e familiares, como a nossa. São produtores pequenos e consegue-se ver melhor relação de tudo -- de confiança, de fornecimento.

Os cortadores, cada vez mais raros, também trabalham com os Machado há vários anos. Uma vez, conta Miguel entre risos, ficaram a beber uns copos depois do trabalho, e um deles, “com a pingazinha”, levou os sapatos do colega todo o fim-de-semana, apercebendo-se do erro apenas quando os seus colegas o apontaram na segunda-feira seguinte.

E assim vão passando os anos no Talhos Machados, por entre a carne e o trabalho, as brincadeiras e as peripécias. Afinal de contas, como diz Miguel, o trabalho de um cortador é bastante duro. E nem só de trabalho é feito o homem.

Texto: Rafaela Cortez
Fotografia: Fernando Amaral e Alice Bracchi

Produtos

Bife Vazia

Lombo Porco

Entrecosto Porco

Salsicha Fresca Porco

Hamburguers Novilho

Carne Picada de Novilho

Bife Alcatra

Bife Lombo

Bife Perú

Bife Frango

Coelho Fresco

Frango Campo

DE VOLTA AO TOPO