Outro Lado

Em Alfama, por entre eléctricos amarelos e turistas com máquinas fotográficas a disparar a cada segundo, existe no Arco do Beco Escuro um bar com o nome Outro Lado.

Ainda antes de transpor a porta para o universo de cervejas artesanais e músicas do Mundo que se complementam harmoniosamente, o cliente é recebido, entre miados, pela mascote do bar, a gata Maria.

Outro Lado é gerido por Asia, da Polónia, e por Abdo, oriundo do Egipto. O casal, que passou por cafés e bares londrinos “servindo às mesas e tocando guitarra”, e com experiência profissional em Marketing, Eventos e Publicidade no Egipto, veio para Lisboa em 2017, com a ideia de abrir um espaço seu. Inúmeros factores, como “o bairro onde abrir, o preço do investimento, entre outros” condicionaram a procura do espaço ideal, que levou longos meses. Em Junho de 2018, finalmente, encontraram-no — um tasco “à moda dos anos 70”, onde o absinto era o que mais saía. Esse negócio foi “mantido por uns tempos e foi sendo renovado”, até que abriram o Outro Lado — um bar de cara e marca lavadas — em Dezembro desse mesmo ano.

Um dos momentos mais marcantes neste processo poderia ter trazido muitos dissabores — dias antes de abrir ao público, Asia e Abdo aperceberam-se de que tinham perdido toda a sua documentação pessoal e profissional. Licenças de música, do espaço, tudo “guardado numa caixa que, no meio das limpezas, foi para o lixo”. Por entre conversas com diferentes advogados e burocracias portuguesas, tudo se resolveu pelo melhor e o Outro Lado conheceu a luz do dia.

O casal, que passou por cafés e bares londrinos “servindo às mesas e tocando guitarra”, e com experiência profissional em Marketing, Eventos e Publicidade no Egipto, veio para Lisboa em 2017, com a ideia de abrir um espaço seu.

Para o casal, além da selecção de música, que consideram única, o set-up do espaço também é importante. Optaram por uma “combinação cosy onde amigos e desconhecidos se encontram no final do dia para conversarem ou beberem um copo de gin.

No entanto, e como espaço dedicado a tal, a cerveja artesanal é a rainha das vendas, com uma oferta que muda semanalmente. A selecção variada do menu é um processo trabalhoso baseado no gosto do próprio casal e no que este acha que os clientes irão apreciar. Para Asia, é óbvio que “os turistas estão mais interessados em cerveja local, enquanto os portugueses procuram experimentar cervejas internacionais, que não encontram noutro lado.

Desengane-se, no entanto, quem julga que apenas os amantes de cerveja artesanal são bem-vindos no Outro Lado. Vinhos portugueses e gin tónicos estão entre “as escolhas tanto de turistas como locais que variam dependendo da época”, sublinha Asia. Jogos de tabuleiros e quizz são uma realidade neste bar, aberto a todos e não “apenas para inglês ver.”

O primeiro aniversário do Outro Lado serviu para provar a Abdo e Asia que “sair do escritório para entrar no mundo das cervejas artesanais foi incrível.” Alfama também os recebeu de braços abertos, e miúdos e graúdos juntaram-se no bar para celebrar o seu primeiro ano de vida. Tal como canta o poeta, «foi bonita a festa, pá!».

Texto: Bárbara Oliveira
Fotografia: Alice Bracchi

Produtos

Ayinger - Bairisch Pils 33cl

€4,50

Mean Sardine - Ginga Ninja 33cl

€6,80

Gulden Draak - 9000 Quadruple 33cl

€5,80

Dois Corvos - Creature 33cl

€4,20

Brewhands - Blonde Saison 33cl

€3,90

Ayinger - Brauweisse 33cl

€4,90

Laugar - Aupa Tovarisch Aged In JD Barrels 33cl

€10,90

Lupum - Cocoa & Coffee Stout 33cl

€7,50

Dois Corvos - Casamentos & Baptizados 33cl

€5,90

La Trappe - Trappist Belgian Quadrupel 33cl

€5,70

Westmalle Tripel - Belgian Blonde 33cl

€5,80

La Chouffe - Belgian Blonde 33cl

€6,50
DE VOLTA AO TOPO