Casa a Granel

Desde os seus tempos de faculdade em Coimbra, que Marlene e o agora marido, Rodrigo, sonhavam em ter um negócio próprio. Em 2015, o sonho ganhou forma quando abriram a Casa a Granel com o objectivo de aliar a alimentação saudável ao combate contra o desperdício alimentar.

A loja fica bem no coração de Campo de Ourique, um bairro que conquistou o casal por lhes fazer lembrar a cidade onde estudaram. “Uma das coisas que nos encantou no bairro foi, logo ao segundo ou terceiro fim de semana que passámos a frequentar o bairro, haver algumas pessoas que, como nos tinham visto nos fins de semana anteriores, passaram a cumprimentar-nos,” conta Marlene quando fala do sentimento de bairrismo que encontraram naquela zona da cidade. Era um bairro onde já passavam bastante tempo ao fim de semana, por isso fazia todo o sentido que a sua loja fosse ali.

Na altura, o conceito de compra e venda a granel era ainda pouco conhecido em Portugal. Mas em várias viagens pela Europa, Marlene e Rodrigo aperceberam-se que, em alguns países, as lojas a granel eram já bastante populares. Foi nas suas lojas favoritas que ficaram a conhecer lá fora que se inspiraram para abrir o espaço em Campo de Ourique.

Quem entra na Casa a Granel depara-se com um sem-fim de dispensadores dos mais variados produtos e com todo o tipo de recipientes, desde as garrafas de vidro às caixas de madeira forradas a ráfia. Quando abriram a loja, Marlene e o marido começaram por vender maioritariamente frutos secos, mas a oferta foi expandido e agora inclui massas, leguminosas, chás, especiarias e até alguns produtos feitos exclusivamente para a Casa a Granel, como a granola ou os chocolates artesanais.

“Comprar a granel permite aos clientes verem o estado em que estão os produtos”, explica Marlene, além de lhes dar a possibilidade de comprar apenas a quantidade necessária, evitando, assim, que se desperdicem alimentos.

No entanto, o foco nos frutos seco não desapareceu, e na Casa a Granel faz-se questão que sejam da melhor qualidade. “O pinhão para nós só faz sentido se for pinhão nacional, de Alcácer,” conta Marlene, que refere também as amêndoas que vêm de diferentes zonas do país. Os clientes mais assíduos conseguem até já distinguir pelo sabor as amêndoas do Norte, do Algarve ou do Alentejo. Sempre que possível, Marlene e Rodrigo compram a pequenos produtores nacionais, mas há alguns produtos que faz sentido ir buscar ao país de origem, como é o caso das nozes de Macadâmia ou os pistácios. Tudo, explica Marlene, em nome da qualidade.

A qualidade dos alimentos é, aliás, o que os ajuda a cumprir com um dos objectivos que tinham quando abriram a Casa a Granel, o de promover junto dos seus clientes uma alimentação mais saudável. “Comprar a granel permite aos clientes verem o estado em que estão os produtos”, explica Marlene, além de lhes dar a possibilidade de comprar apenas a quantidade necessária, evitando, assim, que se desperdicem alimentos. É desta forma, e através da sua loja, que Marlene e Rodrigo continuam todos os dias a realizar o sonho dos miúdos de Coimbra.

Texto: Raquel Magalhães
Fotografia: Alice Bracchi

Produtos

Sabão de Marseille Original

€3,00

Champô Sólido com Condicionador

€5,50

Conjunto de 4 Palhinhas Bambu + 1 Escovilhão em bolsa de algodão

€6,95

Almofada Térmica XL

€17,90

Almofada Térmica

€12,50

Cápsula de Café

€35,00

Óleo Tea Tree

€7,50

Escovilhão de Inox Individual

€1,95

Palhinha de Inox Reta Individual

€2,45

Palhinha de Inox Curva Individual

€2,45

Filtro Carvão Ativado

€8,50

Champô Sólido Cabelo Misto

€5,50
DE VOLTA AO TOPO